BREC: Mil Milhas - O charme franc?s

A voz é firme, as informações são confiáveis mas nem mesmo o ronco dos motores dos mais de 70 carros correndo no autódromo de Interlagos consegue esconder o sotaque do francês Marc Arnoldi, o locutor oficial das Mil Milhas Brasileiras.

A voz é firme, as informações são confiáveis mas nem mesmo o ronco dos motores dos mais de 70 carros correndo no autódromo de Interlagos consegue esconder o sotaque do francês Marc Arnoldi, o locutor oficial das Mil Milhas Brasileiras. Profundo conhecedor de automobilismo, Marc, que também é um dos locutores oficiais das 24 Horas de Le Mans, aumenta o charme da prova brasileira, disputada desde 1956.

--Fico muito honrado por ser um estrangeiro contratado para comentar várias corridas pelo Brasil. Sei que faço o meu trabalho, apesar de o sotaque ser uma barreira, pois no meu caso ou o público não presta atenção ou fica bastante atento diz esse francês de 33 anos que também é o locutor oficial da F-3 Sul-Americana e já trabalhou numa etapa brasileira da Fórmula Indy.

Nascido em Paris, ele se mudou para o Brasil em 1994, quando se casou com uma brasileira, de quem está separado. Da união, nasceu Henrique, hoje com 5 anos e morando em Brasília, mesma cidade que ele reside. E foi numa conversa com o tricampeão mundial de Fórmula-1, Nelson Piquet, também morador da capital federal, que Marc passou a ser locutor de corridas no Brasil.

-- Uma vez em Le Mans fui entrevistar o Piquet e, como ele não fala francês, comecei a conversar com ele em português. No final, ele disse que eu até que falava bem o português. Gostei. Depois de um tempo ele me contatou para fazer a categoria BPR, que correu aqui em 1996 e não parei mais. A paixão de Marc pelo radialismo e pelo automobilismo praticamente nasceram juntas. Desde jovem, quando estudava em Paris, ele acompanhava com atenção infantil tudo o relacionado ao rádio. Como não poderia deixar de ser, optou por se formar locutor e trabalhou na Radio France Internationale. Dali para se tornar um dos locutores oficias de Le Mans foi um pulo:

-- Tinha um amigo que era locutor da Stock Car Francesa e me levou para ver. Gostei de locução e, ao lado do companheiro de escola Bruno Vandestick, ia a Le Mans ouvir o Jean Jacques Laurens, um belga considerado o maior locutor de Le Mans. Ele comandou a locução da prova dos anos 50 até 1986.

Os jovens Marc e Bruno eram fãs de Laurens e ficavam ao lado do ídolo tentando ajudá-lo. Ajudaram e aprenderam bastante. Depois da morte de Laurens, um famoso narrador de corridas de cavalos passou pelos microfones oficiais de Le Mans. Foi aí que os dois amigos ganharam a esperada chance de assumir o cargo.

-- Criamos a Rede de Pentelhos, que são fãs de corridas que ficam nos boxes e nos levam as informações mais quentes. Hoje são cerca de 50, de vários países. Eles não ganham nada, mas no final do ano juntamos todos numa associação que foi criada, damos um jantar ou um almoço e levamos um piloto famoso.

Apesar de quase nunca trocar palavras quando fala em francês ou em português, a proximidade com os brasileiros o levou a cometer uma gafe nas 24 Horas de Le Mans de 1999:

-- Quando um Mercedes teve um problema aerodinâmico e decolou. peguei o microfone e gritei: Voou, mas em português. Claro que ninguém entendeu nada. Depois falei em francês normalmente se diverte Marc.

-www.pitstop.com.br

Be part of something big

Write a comment
Show comments
About this article
Series Road racing
Drivers Nelson Piquet