BUSCH: CHAMPCAR/CART: Fittipaldi de grande satisfa??o e frustra??o em Homestead

"É A Forma Mais Pura De Correr", Diz Christian Sobre a Nascar (Miami, Flórida) Christian Fittipaldi já correu na Fórmula Um e na CART. Porém, ele faz questão de chamar a NASCAR Busch Series de "corrida pura". Nesse sábado, em Homestead,...

"É A Forma Mais Pura De Correr", Diz Christian Sobre a Nascar

(Miami, Flórida) Christian Fittipaldi já correu na Fórmula Um e na CART. Porém, ele faz questão de chamar a NASCAR Busch Series de "corrida pura". Nesse sábado, em Homestead, ele descobriu na prática o que é uma prova da Stock Cars norte-americana ao participar das 300 Milhas de Miami.

Na volta número 111, o sobrinho de Emerson Fittipaldi (bicampeão mundial de F1, campeão da CART e duas vezes campeão das 500 Milhas de Indianápolis) andava no pelotão de trás da prova quando foi atingido, na traseira, pelo carro de Hank Parker Jr. Christian, então, acerta o muro na curva 2 e fica de fora da disputa.

Fittipaldi aprende, dessa forma, que bater no muro é a mesma coisa. Tanto na CART quanto na NASCAR. "Foi um grande estrondo quando eu bati", comentou Christian. "E lhe digo, um muro será sempre um muro. Duro", completou.

Pilotar sua primeira prova da NASCAR trouxe a Christian Fittipaldi um misto de grande satisfação e frustração. "Meu carro estava um pouco desalinhado na primeira parte da prova. Afora, que fiquei quase sem combustível e acabei perdendo muitas voltas", declarou o brasileiro. "Na segunda parte da corrida, comecei a andar bem e me divertir. Meus tempos melhoram muito e o carro estava na minha mão. Então, alguém bateu na minha traseira e fui para o muro", continuou.

"De qualquer forma, fiquei muito satisfeito. Fiquei mais contente com a corrida do que fiquei com meu treino de classificação", disse Christian e acrescentou: "Estou feliz porque esse final de semana foi positivo. E gostaria de fazer isso mais vezes."

Os carros que Christian Fittipaldi pilotou na Fórmula Um e pilota na CART são muito precisos e feitos para correr. Eles têm aceleração e frenagem rápida e são capazes de fazer curvas sem muito esforço. Em contraste, os carros da NASCAR foram descritos como aqueles qua não aceleram, não freiam e não viram.

"É diferente", admite Christian. "Eu trabalhei duro a semana inteira e, mesmo assim, sentia muito movimento em meu carro. No caso de meu carro na CART, esse movimento é mínimo. Porém, gostei bastante de pilotar na NASCAR. È muito prazeiroso. Você anda lada a lado o tempo todo. Na CART, é mais difícil de acontecer pois não conseguimos ficar muito próximos uns dos outros", completou.

Fittipaldi disse que pretende correr em 10 ou 12 provas da NASCAR Busch Series no próximo ano. Isso porque, ele terá algumas folgas no calendário da CART, apresentado há uma semana.

"De fato, gostaria de aprender mais sobre a NASCAR e testar mais. Deixei a pista com uma sensação muito positiva. O resultado não foi positivo, mas acredito que se tudo ocorresse normalmente teria completado a prova entre os 20 primeiros", disse Christian. "Ainda tem muita coisa pela frente. Tenho que dar um passo por vez. Não dá para fazer tudo num dia só", continou.

"Se tivesse chance, gostaria de correr na prova de Daytona em fevereiro", disse.

Christian declarou, também, que se um piloto quiser correr nos Estados Unidos ele precisa experimentar a NASCAR de alguma forma para saber exatamente o que ela significa. "É a forma mais pura de corridas de carro na América. Não existe nada mais puro do que isso", declarou o brasileiro.

-www.fittipaldionline.com.br

Write a comment
Show comments
About this article
Series INDYCAR , NASCAR-NS